Iluminação do jardim

A ideia geralmente é ter um jardim para todas as horas, para que as pessoas possam se apropriar do espaço com a iluminação natural do dia ou com a iluminação artificial da noite.

Nesse artigo darei dicas de como aproveitar o potencial das vegetações com o auxílio da iluminação artificial, ou seja, apreciando o jardim noturno e como as lâmpadas e luminárias podem transformar e valorizar a sua área externa.


A iluminação no jardim, além de viabilizar o uso do espaço à noite, revela as formas sutis de algumas vegetações. Podem destacar texturas, volumes e o mais importante, causar sensações a quem observa, como por exemplo, aconchego, relaxamento ou sinalizar caminhos e passeios para quem utiliza o local, tornando-se um verdadeiro convite para quem o aprecia a qualquer momento do dia. Não existe uma regra que limite o planejamento luminotécnico, mas, seguindo algumas dicas, é possível valorizar o seu jardim e as áreas externas da casa levando em consideração o projeto existente.

Qual o objetivo da iluminação?


A iluminação pode ter o objetivo decorativo ou funcional. Para escolher o estilo e o objetivo da iluminação, deve-se conhecer os tipos de plantas que compõem o espaço, as características e os seus arranjos.

Identificar o clima que queremos dar ao jardim, esse clima pode ser influenciado pela temperatura da cor da lâmpada ou a cor que a lâmpada transmite. A luz amarela e temperatura mais baixa, por exemplo, transmitem um ar mais sofisticado. Já quando o objetivo é dar destaque ou direcionamento, a luz branca e temperatura mais alta é uma boa sugestão.

Como escolher a lâmpada?


É importante analisar o índice de reprodução de cor (IRC), a temperatura da cor (K), que pode ser quente (2700k a 3000k) ou fria (4000k a 6000k). Temos no mercado as lâmpadas halógenas, que tem um índice elevado de reprodução de cor, mas são quentes e transmitem calor à vegetação. Já a tecnologia LED, que tem uma vida útil maior, não emite radiação, garante uma iluminação que valoriza a planta ou elementos externos de forma mais sustentável e sem causar danos a vegetação.

Quais os efeitos para o meu jardim?


Se o efeito buscado é o mais dramático, com a presença de sombra e vultos, colocando as luminárias entre a vegetação, podemos consegui-lo através do efeito “backlight” também conhecido como efeito selva. Quando queremos iluminar o jardim de maneira uniforme, a iluminação geral pode ser feita com a instalação de postes e refletores. Se queremos o efeito de iluminação como destaque, podemos usar luminárias com facho direcionado ao elemento de destaque. Para valorizar árvores, a técnica “up light” é recomendada, através de uma luminária embutida no solo, permite iluminar o tronco e a copa debaixo pra cima. Se queremos sinalizar, direcionar ou proporcionar segurança no jardim, a iluminação de balizamento é indicada para as passagens e escadas, por meio de minipostes ou embutidos no solo ou nos degraus.

Cuidado com a cor


Quando pensamos em iluminação de jardins e espaços externos, devemos levar em consideração a ideia de transmitir a cor da natureza e dos elementos de forma a destacar as suas texturas naturais. Muitas vezes, uma iluminação mais simples tem um resultado mais interessante do que algo sobrecarregado com muitas cores.

O uso adequado das cores das lâmpadas é muito importante para o efeito que se quer alcançar e quando mal determinado pode causar o efeito contrário ao esperado, como por exemplo, ofuscamento, fadiga ou saturação. Particularmente, prefiro a cor amarela ou âmbar que me remetem a aconchego. Existe no mercado uma variedade de cores que se bem utilizadas, com objetivo específico, podem causar grande impacto positivo no jardim.

Conclusão


Para o sucesso na sua iluminação, buscar profissionais que trabalhem com segurança e tenham experiência para esse tipo de execução é muito importante. Além do uso de materiais adequados para uma instalação segura e livre de acidentes, sendo ainda primordial ter o projeto luminotécnico que especifica aspectos importantíssimos como: Efeito pretendido com a iluminação, fiação adequada, cargas de cada circuito e a soma de suas potências, assim como, proteção dos fios para evitar acidentes com moradores e animais.

Não hesite em tirar suas dúvidas com um especialista, para qualquer dúvida, você poderá entrar em contato comigo em: contatostudiorelva@gmail.com

Camilla Sousa Gomes   l   Arquiteta paisagista.

Instagram: @studio_relva.